Projecto Vercial

Herberto Hélder


Herberto Hélder de Oliveira nasceu no Funchal, ilha da Madeira, no dia 23 de Novembro de 1930. Frequentou a Faculdade de Letras de Lisboa, tendo trabalhado em Lisboa como jornalista, bibliotecário, tradutor e apresentador de programas de rádio. Foi redator da revista Notícia em Luanda, Angola, em 1971. Começou desde cedo a escrever poesia, colaborando em várias publicações de que se destacam: Graal, Cadernos do Meio-Dia, Pirâmide, Poesia Experimental (1 e 2), Hidra e Nova. É um dos introdutores do movimento surrealista em Portugal nos anos cinquenta, de que mais tarde se viria a afastar. Em 1994 recusou o Prémio Pessoa.

Obras: Poesia – O Amor em Visita (1958); A Colher na Boca (1961); Poemacto (1961); Retrato em Movimento (1967); O Bebedor Noturno (1968); Vocação Animal (1971); Cobra (1977); O Corpo o Luxo a Obra (1978); Photomaton & Vox (1979); Flash (1980); A Cabeça entre as Mãos (1982); As Magias (1987); Última Ciência (1988); Do Mundo (1994); A Faca Não Corta o Fogo – Súmula & Inédita (2008); Ofício Cantante (2009); Poesia Toda (1. vol. de 1953 a 1966; 2. vol. de 1963 a 1971) (1973); Poesia Toda (1. ed. em 1981). Ficção – Apresentação do Rosto (1968); Os Passos em Volta (1963).

Outras páginas sobre o autor:

  • A poética de Herberto Hélder: o ponto de partida


    Voltar à página inicial

  • Site apoiado pelo Alfarrábio da Universidade do Minho | © 1996-2013 Projecto Vercial