Projecto Vercial

Almeida Garrett


Almeida Garrett

João Baptista da Silva Leitão de Almeida Garrett nasceu no Porto a 4 de fevereiro de 1799 e faleceu em Lisboa a 9 de dezembro de 1854. Em 1809 partiu para a ilha Terceira por causa das invasões francesas. Aí recebe de um tio, bispo de Angra do Heroísmo, uma educação religiosa e clássica. Matricula-se no curso de Direito em Coimbra e adere às ideias liberais e começa a escrever algumas peças de teatro. Com a Vila-Francada, exila-se em Inglaterra, onde contacta com a literatura romântica (Byron e Walter Scott). Em 1825 publica em Paris Camões, obra marcante para o Romantismo português. Após a guerra civil, é nomeado cônsul geral em Bruxelas. Estuda a língua e a literatura alemãs (Herder, Schiller e Goethe). Regressa a Portugal em 1836 e Passos Manuel encarrega-o de reorganizar o teatro nacional, nomeando-o inspetor dos teatros.

Obras: Teatro – Catão (tragédia, Coimbra, 1822; 2. ed., Londres, 1830; 3. ed., Rio de Janeiro, 1833); Mérope (tragédia, Lisboa, 1841); O Alfageme de Santarém ou A Espada do Condestável (Lisboa, 1842); Um Auto de Gil Vicente (Lisboa, 1842); Frei Luís de Sousa (drama, 1843); Dona Filipa de Vilhena (comédia, Lisboa, 1846); Falar Verdade a Mentir (comédia, Lisboa 1846); A Sobrinha do Marquês (comédia, Lisboa, 1848); Camões do Rossio (comédia, Lisboa, 1852; coautoria de Inácio Feijó). Ficção – O Arco de Santana (romance, 1845); Viagens na Minha Terra (romance, 1846); Helena (fragmento de um romance inédito, Lisboa, 1871). Poesia – Retrato de Vénus (Coimbra, 1821); Camões (Paris, 1825); Dona Branca ou a Conquista do Algarve (Paris, 1826; pseudónimo de F. E.); Adosinda (Londres, 1828); Lírica de João Mínimo (Londres, 1829); Flores sem Fruto (1845); Folhas Caídas (1853). Cancioneiros – Romanceiro e Cancioneiro Geral, vol. I. (Lisboa, 1843); Romanceiro e Cancioneiro Geral, vols. II e III (Lisboa 1851). Ensaio – Bosquejo da História da Poesia e da Língua Portuguesa (Paris, 1826).

Outros links sobre Almeida Garrett:

No Projecto Vercial:

  • A história da menina dos rouxinóis
  • Para uma sistematização didáctica das leituras interpretativas do Frei Luís de Sousa
  • Os primeiros passos do Romantismo: O Toucador, de Garrett
  • A Vingança de Maria de Noronha de Armando da Silva Carvalho



    CRONOLOGIA DE ALMEIDA GARRETT

    1799 – Almeida Garrett nasce no Porto.

    1809 – Parte para a ilha Terceira por causa das invasões francesas. Aí recebe de um tio, bispo de Angra do Heroísmo, uma educação religiosa e clássica.

    1816 – Matricula-se no curso de Direito em Coimbra. Adere às ideias liberais e começa a escrever algumas peças de teatro.

    1820 – Escreve a tragédia Catão, representada em Lisboa no ano seguinte.

    1821 – Já formado, casa com Luísa Midosi e publica o Retrato de Vénus, que lhe valeu um processo judicial e um julgamento de que foi absolvido.

    1823 – Com a Vila-Francada, exila-se em Inglaterra, onde contacta com a literatura romântica (Byron e Walter Scott).

    1824 – Parte para o Havre, em França, como correspondente.

    1825 – Publica em Paris Camões.

    1826 – Publica ainda em Paris D. Branca. Regressa a Portugal após a outorga da Carta Constitucional, dedicando-se ao jornalismo político.

    1828 – Exila-se de novo em Inglaterra devido à aclamação de D. Miguel.

    1830 – Inicia a compilação do Romanceiro.

    1832 – Integra-se no exército liberal de D. Pedro IV, desembarca no Mindelo e participa no cerco do Porto, escrevendo aí a primeira pare do Arco de Santana.

    1834 – Após a guerra civil, Almeida Garrett é nomeado cônsul geral em Bruxelas. Estuda a língua e a literatura alemãs (Herder, Schiller e Goethe).

    1836 – Regressa a Portugal e separa-se de Luísa Midosi, que em Bruxelas o teria traído. Passos Manuel encarrega-o de reorganizar o teatro nacional, nomeando-o inspector dos teatros.

    1837 – Perde o cargo de inspector dos teatros por demissão de Passos Manuel. Apaixona-se por Adelaide Deville, que morrerá em 1841 e de quem terá uma filha, Maria Adelaide.

    1838 – Publica Um Auto de Gil Vicente.

    1841 – Publica O Alfageme de Santarém.

    1842 – Costa Cabral instaura um governo de ditadura, contra o qual Garrett luta na oposição parlamentar.

    1843 – Escreve o drama Frei Luís de Sousa que será publicado no ano seguinte. Começa também a escrever o romance Viagens na Minha Terra, que publica em folhetins na Revista Universal Lisbonense.

    1845 – Publica o romance Arco de Santana e a colectânea de poemas Flores sem Fruto. Inicia-se a paixão por Rosa Montufar, a Viscondessa da Luz.

    1846 – É publicado em dois volumes o romance Viagens na Minha Terra.

    1850 – É representado no Teatro Nacional o drama Frei Luís de Sousa.

    1851 – É nomeado ministro dos Negócios Estrangeiros e recebe o título de Visconde e Par do reino. Conclui a compilação do Romanceiro.

    1853 – Publica Folhas Caídas, colectânea poética que causou escândalo na época.

    1854 – Almeida Garrett morre a 9 de Dezembro em Lisboa.



    Voltar à página inicial

  • Site apoiado pelo Alfarrábio da Universidade do Minho | © 1996-2015 Projecto Vercial